Acompanhe o JB por e-mail

segunda-feira, 7 de outubro de 2019

Movimentada a eleição para Conselho Tutelar

Candidatos ao cargo de Conselheiro Tutela em Ipanema tiveram bem mais trabalho que anos anteriores. Muitos usaram as redes sociais para pedir votos e alavancar a campanha para sua eleição.
O diferente desta vez foi que o eleitor só podia votar em um candidato (das outras vezes podia se votar em até cinco) e ficou bem mais democrático.

Em Ipanema a eleição aconteceu no domingo, dia 6, na Escola Municipal, no prédio onde funcionam as faculdades EAD. As filas davam a entender que o povo está mais consciente e mais participativo nas coisas da comunidade e foi votar, apesar de não ser obrigatório.

Não houve tumulto e notamos que não havia a diferenciação de quem é ou deixa de ser classe A, B ou C na cidade. O que se viu foi gente de poder aquisitivo alto votando, assim como quem tem uma renda mínima ou indefinida.

Como já dito, a mobilização, que começou a internet nas últimas semanas, foi chamada por alguns votantes de “efeito Bolsonaro”: a polarização do país chegou até os Conselhos Tutelares, com campanhas para eleger conselheiros conservadores ou progressistas. Foi, realmente uma campanha "a la Bolsonaro", onde todos tiveram as mesmas oportunidades de se divulgar e lutar pela sue eleição.

Os Conselhos Tutelares são responsáveis por zelar pelos direitos das crianças e dos adolescentes. Os eleitos no domingo, dia 6, terão mandato de quatro anos, muito o que aprender e trabalhar com vontade para melhorar a qualidade de vida e a segurança do menor e do adolescente. Na avaliação de quem votou e observou a mobilização foi mais significativa neste ano do que na eleição de 2016, a mais recente.

A eleição este ano envolveu não só lideranças comunitárias participando, mas também partidos políticos envolvidos, igrejas dando "uma força". Então, é normal e natural que se tenha movimentos organizados a cada vez que você tem um papel mais importante a ser destacado.

O que se pode notar nesta eleição do Conselho Tutelar é que ela vem ganhando força a cada nova eleição. Vimos a mobilização, a quantidade de pessoas indo votar. Ao que tudo indica, embora não tenhamos os números de votantes, parecia ter mais gente do que quatro anos atrás, na última eleição.

Em algumas cidades a eleição, neste ano, foi feita com assessoria do Tribunal Regional Eleitoral e urna eletrônica em todas as cidades com mais de 300 mil habitantes nos estados.

Para votar era preciso levar documento de identidade e título de eleitor, o que gerou confusão em alguns lugares. Em Ipanema não houve confusão e todos votaram com tranquilidade.

Divulgados os nomes dos eleitos. Veja:

Esta matéria está também no Jornal DeBolso Online



Nenhum comentário: