Acompanhe o JB por e-mail

quinta-feira, 26 de março de 2020

Polícia Civil prende naturopata. Crime: remédio contra covid-19

Foi preso em flagrante na manhã da segunda-feira, dia 23 de março, em sua casa, o naturopata Lucimar G. Rodrigues, 38 anos, acusado do crime de falsificação, alteração ou adulteração de produto destinado a fins medicinais ou terapêuticos.

Lucimar alega que vem sofrendo perseguição por ter criado um produto que cura o câncer, que, segundo ele, está comprovado em vários depoimentos de pessoas que adquiriram o seu produto, através do Facebook, que é seu principal canal de divulgação.

Fomos até às páginas do Facebook e, realmente há vários depoimentos de pessoas que dizem ter sido curadas de diversos tipos de câncer...

Recentemente ele disse em entrevista ao JBO (Jornal DeBolso Online) que estava sendo processado pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) e que deveria prestar depoimento no final deste mês no Fórum da Comarca de Ipanema.

Ele conta que sempre estudou plantas medicinais e que tem o registro de NATUROPATA que lhe dá condições de exercer a profissão.
De acordo com seu depoimento ao JBO, tudo tomou um rumo diferente quando sua mãe foi diagnosticada com câncer e os médicos deram a ela poucos meses de vida. Ele começou então uma luta contra o tempo para salvar a mãe que padecia com a doença e, de acordo com ele, conseguiu curá-la. Passou então a distribuir gratuitamente sua descoberta e afirma que curou muita gente com seu produto. A mãe dele morreu recentemente com febre maculosa que teria contraído ao ir pescar na beira do rio.

Mas, o que chamou a atenção das autoridades, ao investigar, é que Lucimar estaria comercializando medicamentos que prometiam a cura do novo coronavírus o covid-19. O nome que ele deu ao que produziu é Imunotex Plus, vendido por R$ 30,00 e adquirido, também, através do Mercado Livre ou pelo seu WhatsApp.

Com autorização judicial, a Polícia realizou busca na casa dele e apreendeu computador, impressora, grande quantidade de produtos embalados para venda, garrafas com produtos, embalagens vazias, plantas, rótulos, comprovantes dos correios das postagens que fazia e dinheiro.

Lucimar foi preso em flagrante e, juntamente com todo o material apreendido foi conduzido para a Delegacia de Polícia Civil de Ipanema e não mais para Caratinga como até bem pouco tempo era feito. (Com informações da Polícia Civil)

ATUALIZANDO:
Agora à noite Luciano (25mar2020), de acordo com o noticiário, que estava em prisão temporária, teve mudado para prisão preventiva. Com isso fica-se sem saber quando ele poderá deixar a cadeia pois não há prazo para esse tipo de prisão ser revogada e o detento ser solto. (Claudio Vianei)